Biblioteca Comunitária Energia do Conhecimento passa a oferecer aos leitores acervo com acessibilidade

O Instituto Oswaldo Ribeiro de Mendonça – IORM enriqueceu seu acervo e passa a oferecer aos leitores da Biblioteca Comunitária Energia do Conhecimento, livros em formatos acessíveis para pessoas com deficiência visual. A Biblioteca também tem acessibilidade arquitetônica e banheiros adaptados para pessoas com deficiência física e mobilidade reduzida.

-A matéria continua depois da publicidade-

Foram adquiridos livros impressos em braile, tinta braile, digital acessível, audiolivros e vídeos em DVD com acessibilidade comunicacional de Libras, legenda e audiodescrição.

O IORM firmou parceria com a Fundação Dorina Nowill para Cegos, que doou 87 livros em Braile, Tinta Braile e Digital acessível. A Fundação é uma instituição reconhecida internacionalmente pela inclusão de pessoas cegas e com baixa visão, através da produção e distribuição, gratuita, de livros acessíveis, serviços especializados, para pessoas cegas e suas famílias, na área da educação especial e reabilitação.

A Biblioteca também recebeu da audiodescritora Bell Machado a doação de sete livros impressos em braile e tinta e audiolivros e oito DVDs, entre eles, longas metragens e mais de 20 curtas metragens, todos com acessibilidade comunicacional de Libras, legenda e audiodescrição.

Além dos exemplares adquiridos pelas doações, o Instituto comprou mais 26 livros, em Braile e Audiolivros, para compor o acervo literário da Biblioteca, compondo um acervo de 128 títulos de livros, audiolivros e DVD acessíveis que já estão disponíveis na Biblioteca Energia do Conhecimento para empréstimo dos leitores.

Esta é mais uma das ações que foram possibilitadas por meio do projeto Agenda Cultural 2021 PRONAC 205171. Entre as muitas ações de inclusão e acessibilidade cultural que o IORM executou a partir deste projeto, constam a adequação das estruturas prediais, a inclusão da língua de libras e da audiodescrição na plataforma institucional e nos eventos “Livros são fundamentais para a formação intelectual e cultural do indivíduo. As pessoas com deficiência têm o direito de buscar, receber e compartilhar informações e ideias, em igualdade de acesso e oportunidades com as demais.

A inclusão dos livros com acessibilidade é parte de um importante caminho traçado pelo Instituto rumo à democratização do acesso à cultura”, declara a coordenadora do Conselho do IORM, Maria Inês Marcório Guedes Moreira de Carvalho.

“O IORM reconhece, apoia e luta pela inclusão das pessoas com deficiência, para que vivam com autonomia e exerçam seus direitos de cidadania e participação social e cultural. Dessa forma, tornamos a arte e a cultura acessíveis, promovendo a todos os públicos o conhecimento, fomentando o pensar crítico e possibilitando que a cultura seja importante aliada no desenvolvimento da comunidade”, destaca o gerente Executivo do IORM, Rafael Albuquerque Braghiroli.

Capacitação

Como parte da estratégia de implementação de um acervo acessível, a equipe de profissionais da Biblioteca Comunitária Energia do Conhecimento do Núcleo do IORM Guaíra participou da Oficina de Treinamento para a implantação da Biblioteca Acessível, realizada no dia 18 de fevereiro.

Participaram da oficina, as educadoras Laura Alves e Elizabeth Nascimento e a assistente social Ana Claudia, colaboradoras do IORM, com atuação no Projeto Agenda Cultural 2021 – PRONAC 205171, ministrada pela audioescritora Bell Machado, da empresa Quest Consultoria-Acessibilidade cultural e audiodescrição.

A capacitação abordou conceitos fundamentais como a LBI – Lei Brasileira de inclusão, tecnologias assistivas (também denominadas, recurso de acessibilidade), inclusão e acessibilidade cultural.

O aprendizado contribuirá para que a Biblioteca Energia do Conhecimento passe a oferecer um espaço acessível a crianças, adolescentes, adultos e idosos com deficiência visual e com baixa visão.

“Um conjunto de fatores torna uma biblioteca inclusiva para todos, como a acessibilidade arquitetônica e comunicacional com livros acessíveis e funcionários treinados. Um dos objetivos da capacitação oficina/treinamento, foi suscitar a consciência, a complexidade de um trabalho de acessibilidade cultural, mapeamento das demandas das diversas áreas de trabalho e, por fim, versar sobre noções de cidadania, para que conteúdos culturais em espaços públicos possam ser acessados por todos, direito esse garantido pela Constituição Federal e pela LBI – Lei Brasileira de inclusão.”, afirma a coordenadora de Projetos do IORM, Janaína Amadeu.

Acessibilidade é Lei

No Brasil, segundo dados do Censo do IBGE de 2010, existem 35.791.488 pessoas com algum grau de deficiência visual, excluídas das experiências estéticas e das redes sociais.

A acessibilidade à cultura e aos meios de comunicação, para pessoas com diversas potências, é um tema atual e urgente.

“Antes de se falar em métodos, técnicas e tecnologias para uma comunicação acessível para públicos diversos, são prementes reflexões sobre as formas individuais e coletivas de acesso aos bens culturais como um todo”, reforça Rafael Braghiroli.

Comentários

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.