Sabesp, Iguá e GW são fortes candidatas ao leilão da concessão da água em Orlândia

O leilão da concessão da água do município de Orlândia (SP) está em fase final. As propostas já foram recebidas e estão sendo analisados. O contrato, que prevê investimento de R$ 93 milhões no Departamento de Água e Esgoto, tem 17 consórcios na disputa. Os interessados vão desde a Sabesp, maior grupo do setor no país, Iguá Saneamento, que recentemente conquistou um contrato bilionário no Rio de Janeiro, General Water que em 2017, recebeu um aporte do fundo de investimento LGT Impact., um dos maiores conglomerados bancários da Europa, com mais de 800 Bilhões de reais sob gestão, além de consórcios de empresas locais de engenharia.

-A matéria continua depois da publicidade-

Orlândia continua com sérios problemas de falta d’água em diversos bairros e a concessão vem sendo discutida desde a gestão do ex-prefeito Rodolfo Tardeli Meirelles. Em 2017, quando o ex-prefeito Vado assumiu novamente a prefeitura, no primeiro dia de sessão da Câmara Municipal, o Executivo encaminhou o Projeto de Concessão para votação, sendo aprovada pela maioria dos vereadores. A medida foi a solução encontrado no Governo Vado para resolver o problema da falta d’água e escapar do alto investimento do DAE que ultrapassa R$ 90 milhões.

A licitação está em fase final, mas não há previsão para o resultado. O contrato, que prevê investimento de R$ 93 milhões, tem 17 consórcios na disputa.

Balanço DAE 2021
De acordo com o Diretor o Departamento de Água e Esgoto, Renan Elias, foi um ano de muita seca que interferiu no Departamento, mas Orlândia se saiu relativamente bem em relação a outras cidades da região. “Conseguimos fazer algumas melhorias em pontos críticos da cidade com manutenções periódicas, mas sabemos que tem muito a ser feito. Em 2022 vamos ter uma perspectiva de melhora em relação ao abastecimento, onde deve sair a perfuração de um poço que vai melhorar praticamente em 80 a 90% da situação do Jd. Siena. O poço será suficiente para acabar com a falta d’água no bairro. Em relação a concessão, o processo da licitação deve terminar no início do ano de 2022. Hoje, o DAE tem 18 bombas em funcionamento e contamos apenas com 2 encanadores pra atender toda a cidade.”

Falta d’água em 2018: caminhões pipa abastecendo o reservatório do bairro Brazão.

Departamento e Água e Esgoto na Rua 10, Centro Orlândia SP

OPINIÃO

Para o ex-vereador de Orlândia, Biza Lazari, a concessão é praticamente uma venda do DAE e a cidade poderá ficar no prejuízo. “Imagina quanto a Prefeitura vai pagar de água? Concordo que o sistema de distribuição está precário, o departamento é mau administrado e a prefeitura não investe metade do que arrecada. Se os vereadores fizessem um levantamento real para analisar de fato a arrecadação do DAE (receita/despesa), não teríamos a concessão, porque na minha opinião, o DAE não dá prejuízo. Na minha opinião, continuo sendo contrário a venda.”

Comentários

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.