Hospital Nossa Senhora em Barretos promove ações de apoio aos pacientes com Covid-19

A instituição, que está atendendo os casos da pandemia via SUS, implantou programas de visitas virtuais, acompanhamento psicológico, atendimento multiprofissional, entre outras ações.

-A matéria continua depois da publicidade-

O Hospital Nossa Senhora, em Barretos, está promovendo uma série de ações para amenizar a situação dos pacientes internados em razão do tratamento da Covid-19.

Para isso, a instituição, que está atendendo os casos da pandemia via SUS, implantou um sistema de atendimento profissional e acompanhamento psicológico para os pacientes e familiares.

Para reduzir os efeitos do isolamento e distanciamento dos familiares e amigos, já que as visitas foram suspensas como forma de prevenir o contágio da doença, o Hospital Nossa Senhora promove visitas virtuais. Para isso, as equipes utilizam celulares esterilizados para esse fim e, por meio de agendamento dos horários, faz as ligações entre pacientes e familiares via chamadas de voz e vídeo.

De acordo com a psicóloga Mariana Paschoal Martins, coordenadora do serviço de psicologia do Hospital de Amor e da Santa Casa, essa foi a maneira encontrada para possibilitar o contato dos pacientes internados na UTI com seus familiares.

“Quando os pacientes estão acordados na Unidade de Tratamento Intensivo, fazemos as chamadas de vídeo e eles conseguem interagir e falar como estão. A família fica mais aliviada por vê-los também nesse momento”, explica Mariana.

Nos casos, em que os pacientes necessitam ficar sedados, a equipe do hospital oferece atendimento psicológico por telefone aos familiares. “Quando os pacientes estão mais críticos, sedados e intubados, conseguimos realizar o atendimento psicológico por telefone com a família. Quando essa se encontra bem orientada da situação, ofertamos, também, a visita virtual”, conta a psicóloga do Hospital Nossa Senhora.

Outra atividade, desenvolvida por meio de parceria com o projeto “Conexões do Cuidar”, idealizado pelo fotógrafo e fundador da ONG André François, é a produção de crachás humanizados personalizados com foto e mensagem motivacional destinado aos médicos e enfermeiros que trabalham paramentados com EPIs.

“É como se tivéssemos nossa identidade de volta. Era muito estranho no começo da pandemia, a gente andava pelo hospital paramentado e parecia que tinham pessoas estranhas circulando, então o crachá mostra quem está por trás. E o fato de poder colocar uma frase no crachá é de uma sensibilidade, já que os profissionais podem mostrar também a sua personalidade”, diz Cesar Mauricio da Silva, médico e coordenador no Hospital Nossa Senhora.

A coordenadora do serviço de psicologia do Hospital de Amor esclarece ainda que o serviço de visitas virtuais está disponível para todos pacientes e familiares. “As famílias podem solicitar o apoio quando os médicos ligam para passar o boletim ou o próprio serviço de psicologia entra em contato para oferecer”, ressalta Mariana.

Comentários

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.