Novacidade.com News - Orlândia - Notícias - Fotos
FTTh Telecom
Ribeirão Preto

Capacitação de professores é a chave para inclusão de autistas em escolas regulares

Compartilhar


Desafios e possibilidades no âmbito escolar estão entre os temas abordados no TEAbraço em Ribeirão Preto/SP

Segundo dados divulgados em 2019 pelo Ministério da Educação, o ensino básico nas escolas brasileiras tem ficado mais inclusivo para alunos com algum tipo de deficiências e altas habilidades. Apenas no ano passado, 1,2 milhão de alunos foram matriculados – o que significa um aumento de 33,2% em relação ao ano de 2014.

Apesar de ser um número positivo, isto não garante que as crianças estão sendo incluídas no ensino de forma efetiva. Pra isto acontecer, os professores precisam ter acesso a informações atualizadas e capacitação de qualidade para que possam atender às expectativas de um contexto educacional inclusivo e produtivo segundo a pedagoga e analista do comportamento Sara Yoshikawa. Com este tema, Sara será uma das palestrantes na 4ª Semana Internacional do Autismo (TEAbraço), que acontece entre os dias 1 e 7 de abril em Ribeirão Preto/SP no Shopping Iguatemi.

-A matéria continua depois da publicidade-

A palestra faz parte da programação dos Cursos de Aprimoramento do evento que no dia 2 de abril aborda exclusivamente o tema educação. Além da palestra trazida por Sara com o tema “Alfabetização para crianças com TEA: desafios e possibilidades”, a psicóloga Ana Carolina Sella traz outro curso com o tema “Da decodificação à interpretação de texto: Como podemos chegar lá”. As inscrições, que são limitadas, podem ser feitas pelo site: teabraco.com.br

Ensino regular

No convívio escolar muitos são os desafios enfrentados pelos profissionais em classes com crianças típicas. Uma escola não pode ser considerada inclusiva se apenas aceitar a matrícula de uma criança com autismo. É necessário preparo e capacitação para desenvolver suas singularidades. Ensinar um aluno com algum grau de autismo exige muito mais atenção e um cuidado diferenciado pois as crianças apresentam atrasos e ausência de habilidades importantes para o processo de alfabetização.

“Alguns comportamentos que podem parecer simples são exigidos como prestar atenção e seguir as instruções dos professores, manter-se engajado na sala de aula apesar de outros estímulos visuais e sensoriais, comunicar-se, entre outros. O maior desafio é conseguir desenvolver estes comportamentos pois os professores não estão preparados para esta finalidade”, comenta Sara.

Para Ana Carolina Sella os maiores desafios para a inclusão são resultados da própria organização da escola. “Muitas escolas não permitem que outros profissionais entrem em seu ambiente para ajudar nas transições, adaptações e funcionamento geral. A falta de conhecimento das individualidades e preferências das crianças com TEA é outra grande barreira para o ensino efetivo”, comenta Ana Carolina.

Mudanças de comportamento

Entre as intervenções que podem ser aplicadas pelos profissionais junto aos professores das escolas regulares estão aquelas que vêm da Análise do Comportamento Aplicada (ABA). Esta abordagem, que no Brasil está ligada à psicologia, visa a compreensão e modificação do comportamento focadas no processo de ensino-aprendizagem ou reaprendizagem. Com ela nós profissionais também apendemos diariamente em cada atendimento. Ela é necessária de fato na área de educação pois atua na comunicação, habilidades básicas, comportamentos sociais, manejo de comportamento, entre outros. As pessoas precisam compreender que a ABA cabe perfeitamente no modelo educacional e é de grande contribuição”, conta Sara.

Já em casa, a profissional ressalta que a participação dos pais é fundamental para mostrar a importância da escola na vida dos filhos “É um processo colaborativo para estimular a independência e autonomia. As crianças podem ser inseridas por exemplo na preparação de alguma refeição ou na leitura. Livros são ótimos e devem ser apresentados com temas que as crianças gostem para que inicialmente fiquem mais motivados. Aprendemos com os nossos modelos: pais que costumam ler, frequentam livrarias e bibliotecas, incentivam a leitura nas crianças” conclui.

Sobre o TEAbraço

Chegando a sua 4ª edição, a Semana Internacional do Autismo, tem como objetivo disseminar informações e novos conhecimentos e, contribuir com a inserção das pessoas com TEA na sociedade. Com uma programação gratuita e paga, o evento acontece entre os dias 01 e 07 de abril no Shopping Iguatemi Ribeirão Preto com o tema “Inclusão 360º”, abrangendo todos os tipos de inclusão: social, educacional, familiar e profissional da infância até a vida adulta.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: