Novacidade.com News - Orlândia - Notícias - Fotos
FTTh Telecom
Orlândia

Controle de Vetores de Orlândia alerta sobre escorpiões

Compartilhar

Os escorpiões são animais terrestres, de atividade noturna, ocultando-se durante o dia em locais sombreados e úmidos. Podem sobreviver longos períodos sem comida e água. Esses animais não são agressivos e causam acidentes apenas quando tocados ou comprimidos contra o corpo.

-A matéria continua depois da publicidade-

Todas as espécies de escorpião podem inocular veneno pelo ferrão, a gravidade do envenenamento varia conforme o local da picada e a sensibilidade do acidentado. A gravidade do acidente deve ser avaliada por médico, o qual tomará as decisões sobre o tratamento a ser ministrado.

Escorpiões são altamente adaptáveis ao ambiente urbano. O hábito dos escorpiões de se abrigarem em frestas de paredes, embaixo de caixas, papelões, pilhas de tijolos, telhas, madeiras, em fendas e rachaduras do solo, juntamente com sua capacidade de permanecer meses sem se movimentar, torna o tratamento químico ineficaz.  Além disso, possuem capacidade de permanecer com seus estigmas pulmonares fechados por um longo período, o que compromete a eficácia da grande maioria dos inseticidas utilizados no controle de insetos.

O uso de inseticidas inadequados pode levar ao desalojamento dos escorpiões para locais não expostos à ação desses produtos, aumentando o risco de acidentes, além disso cria-se a falsa sensação de proteção, pois se acredita que o problema foi resolvido o que pode levar a negligência no trato do ambiente.


Devemos ter alguns cuidados em nossas casas, de forma a evitar que o ambiente fique favorável à proliferação deste aracnídeo:


– NA ÁREA EXTERNA
• Manter limpos quintais e jardins, não acumular folhas secas e lixo domiciliar;
• Acondicionar lixo domiciliar em sacos plásticos ou outros recipientes apropriados e fechados, e entregá-los para o serviço de coleta. Não jogar lixo em terrenos baldios;
• Limpar terrenos baldios situados a cerca de dois metros (aceiro) das redondezas dos imóveis;
• Eliminar fontes de alimento para os escorpiões: baratas, aranhas, grilos e outros pequenos animais invertebrados;
• Evitar a formação de ambientes favoráveis ao abrigo de escorpiões, como obras de construção civil e terraplenagens que possam deixar entulho, superfícies sem revestimento, umidade etc;
• Remover periodicamente materiais de construção e madeiras armazenadas, evitando o acúmulo exagerado;
• Preservar os inimigos naturais dos escorpiões, especialmente aves de hábitos noturnos (corujas, joão-bobo, etc.), sapos. Galinhas não são eficazes agentes controladores de escorpiões, pois escorpiões tem hábito noturno e galinhas diurno;
• Evitar queimadas em terrenos baldios, pois desalojam os escorpiões;
• Remover folhagens, arbustos e trepadeiras junto às paredes externas e muros;
• Manter ralos fechados, pode-se utilizar tampas do tipo abre-fecha, ou mesmo telas do tipo mosqueteira para evitar a passagem de baratas e escorpiões;
• Rebocar paredes externas e muros para que não apresentem vãos ou frestas;
• Caixas de passagem de fios e caixas de gorduras: tampas devem estar bem encaixadas e vedadas

– NA ÁREA INTERNA
• Rebocar paredes para que não apresentem vãos ou frestas;
• Vedar soleiras de portas com rolos de areia ou rodos de borracha;
• Reparar rodapés soltos e colocar telas nas janelas;
• Telar as aberturas dos ralos, pias ou tanques;
• Telar aberturas de ventilação de porões e manter assoalhos calafetados;
• Manter todos os pontos de energia e telefone devidamente vedados.

– A PICADA E SEUS EFEITOS
A gravidade do envenenamento e a intensidade dos sinais e sintomas depende da dose e tipo de escorpião, sendo o escorpião amarelo o mais venenoso. De imediato causa dor intensa, inchaço, vermelhidão no local; é muito parecida com a picada de uma abelha. Em 2 a 3 horas pode se alterar a temperatura corporal, surgindo suor intenso, náuseas, vômitos, agitação, sonolência, confusão mental, arritmias, baixa frequência cardíaca e choque, podendo nos casos mais graves ir a óbito. A picada do escorpião amarelo em crianças com pouca idade e baixo peso, pode evoluir para uma intoxicação grave e óbito.

– COMO AGIR
• Manter a vítima calma, e não fazer torniquetes para não haver disseminação do veneno;
• Lavar bem o local com água e sabão;
• Procurar um serviço de saúde, o mais rápido possível.

É muito importante notificar o Controle de Vetores, pois só assim o setor toma ciência da situação e pode dar andamento em suas ações.

– ATENÇÃO!
Não se deve fazer a aplicação de inseticidas em ralos. Há poucos inseticidas no mercado que são próprios para o controle de escorpiões, uma aplicação mal feita, pode ter efeito contrário do esperado, ao invés de matar os escorpiões, pode desalojá-los.

Maiores Informações: 3820-803 (Controle de Vetores)
Os escorpiões são animais terrestres, de atividade noturna, ocultando-se durante o dia em locais sombreados e úmidos. Podem sobreviver longos períodos sem comida e água. Esses animais não são agressivos e causam acidentes apenas quando tocados ou comprimidos contra o corpo.

Todas as espécies de escorpião podem inocular veneno pelo ferrão, a gravidade do envenenamento varia conforme o local da picada e a sensibilidade do acidentado. A gravidade do acidente deve ser avaliada por médico, o qual tomará as decisões sobre o tratamento a ser ministrado.

Escorpiões são altamente adaptáveis ao ambiente urbano. O hábito dos escorpiões de se abrigarem em frestas de paredes, embaixo de caixas, papelões, pilhas de tijolos, telhas, madeiras, em fendas e rachaduras do solo, juntamente com sua capacidade de permanecer meses sem se movimentar, torna o tratamento químico ineficaz.  Além disso, possuem capacidade de permanecer com seus estigmas pulmonares fechados por um longo período, o que compromete a eficácia da grande maioria dos inseticidas utilizados no controle de insetos.

O uso de inseticidas inadequados pode levar ao desalojamento dos escorpiões para locais não expostos à ação desses produtos, aumentando o risco de acidentes, além disso cria-se a falsa sensação de proteção, pois se acredita que o problema foi resolvido o que pode levar a negligência no trato do ambiente.

Devemos ter alguns cuidados em nossas casas, de forma a evitar que o ambiente fique favorável à proliferação deste aracnídeo:


– NA ÁREA EXTERNA
• Manter limpos quintais e jardins, não acumular folhas secas e lixo domiciliar;
• Acondicionar lixo domiciliar em sacos plásticos ou outros recipientes apropriados e fechados, e entregá-los para o serviço de coleta. Não jogar lixo em terrenos baldios;
• Limpar terrenos baldios situados a cerca de dois metros (aceiro) das redondezas dos imóveis;
• Eliminar fontes de alimento para os escorpiões: baratas, aranhas, grilos e outros pequenos animais invertebrados;
• Evitar a formação de ambientes favoráveis ao abrigo de escorpiões, como obras de construção civil e terraplenagens que possam deixar entulho, superfícies sem revestimento, umidade etc;
• Remover periodicamente materiais de construção e madeiras armazenadas, evitando o acúmulo exagerado;
• Preservar os inimigos naturais dos escorpiões, especialmente aves de hábitos noturnos (corujas, joão-bobo, etc.), sapos. Galinhas não são eficazes agentes controladores de escorpiões, pois escorpiões tem hábito noturno e galinhas diurno;
• Evitar queimadas em terrenos baldios, pois desalojam os escorpiões;
• Remover folhagens, arbustos e trepadeiras junto às paredes externas e muros;
• Manter ralos fechados, pode-se utilizar tampas do tipo abre-fecha, ou mesmo telas do tipo mosqueteira para evitar a passagem de baratas e escorpiões;
• Rebocar paredes externas e muros para que não apresentem vãos ou frestas;
• Caixas de passagem de fios e caixas de gorduras: tampas devem estar bem encaixadas e vedadas

– NA ÁREA INTERNA
• Rebocar paredes para que não apresentem vãos ou frestas;
• Vedar soleiras de portas com rolos de areia ou rodos de borracha;
• Reparar rodapés soltos e colocar telas nas janelas;
• Telar as aberturas dos ralos, pias ou tanques;
• Telar aberturas de ventilação de porões e manter assoalhos calafetados;
• Manter todos os pontos de energia e telefone devidamente vedados.

– A PICADA E SEUS EFEITOS
A gravidade do envenenamento e a intensidade dos sinais e sintomas depende da dose e tipo de escorpião, sendo o escorpião amarelo o mais venenoso. De imediato causa dor intensa, inchaço, vermelhidão no local; é muito parecida com a picada de uma abelha. Em 2 a 3 horas pode se alterar a temperatura corporal, surgindo suor intenso, náuseas, vômitos, agitação, sonolência, confusão mental, arritmias, baixa frequência cardíaca e choque, podendo nos casos mais graves ir a óbito. A picada do escorpião amarelo em crianças com pouca idade e baixo peso, pode evoluir para uma intoxicação grave e óbito.

– COMO AGIR
• Manter a vítima calma, e não fazer torniquetes para não haver disseminação do veneno;
• Lavar bem o local com água e sabão;
• Procurar um serviço de saúde, o mais rápido possível.

É muito importante notificar o Controle de Vetores, pois só assim o setor toma ciência da situação e pode dar andamento em suas ações.

– ATENÇÃO!
Não se deve fazer a aplicação de inseticidas em ralos. Há poucos inseticidas no mercado que são próprios para o controle de escorpiões, uma aplicação mal feita, pode ter efeito contrário do esperado, ao invés de matar os escorpiões, pode desalojá-los.

Maiores Informações: 3820-803 (Controle de Vetores)

1 Comment

  1. Pingback: Dia 25 de agosto começa vacinação contra raiva animal em Orlândia - Novacidade News

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto: