Agenda Cultural realiza quatro lives para formar plateia para espetáculo virtual

A equipe artística do Instituto Oswaldo Ribeiro de Mendonça – IORM, realizou no dia 17 de dezembro, quatro lives destinadas às comunidades de Miguelópolis, Guaíra, Ipuã e Orlândia, municípios sedes das Oficinas de Artes Usina da Dança do Projeto Agenda Cultural 2020. O objetivo das lives foi o de engajar a comunidade local e formar plateia para o primeiro espetáculo virtual do Instituto. Adotando a linguagem da Videodança, que une cinema e dança, o IORM e a Secretaria Especial de Cultura do Ministério do Turismo, Governo Federal realizaram   O Espetáculo Pés que Ouvem, Mãos que Falam, que está disponível no canal do youtube do Instituto. 

  

Durante as lives, a equipe artística do IORM guiou a audiência para o aprofundamento do processo criativo que culminou com o espetáculo. A realização das lives foi divulgada intensamente pelas mídias sociais do IORM  e o link disponibilizado aos internautas, tendo como foco principal os alunos e professores de instituições de ensino públicas.  

-A matéria continua depois da publicidade-

“Visamos a sensibilização para a importância da arte e da cultura como continentes de identidade, significado e informação. Esse diálogo busca evidenciar a ligação dos múltiplos aspectos da vida na contemporaneidade com as vanguardas, os movimentos artísticos e o conhecimento ao longo da história, integrado aos conteúdos das Oficinas de Artes desenvolvidas”, explica a coordenadora artística do IORM, Valeria Pazeto.  

Durante a transmissão, os participantes puderam interagir com o conteúdo apresentado por meio de comentários no facebook, youtube e instagram. Foi um espaço de intensa reflexão. Os educadores reconheceram 2020 como um ano atípico que exigiu a  reinvenção da relação com os alunos a adaptação da  rotina de aulas e espetáculo.  

“Foi uma experiência diferente, desafiadora, marcante e incrível para nossa equipe artística. Foi através de uma escuta ativa e democrática que conectamos o primitivo com o digital, o que nos proporcionou um olhar reflexivo perante os elementos da natureza com o nosso cotidiano.”, salienta Maria Fernanda Garcia, professora Mediadora, que, como os demais educadores do IORM, participou da cocriação, concepção, captação e edição de imagens do espetáculo, que harmonizou os elementos da natureza com o brincar, sob a direção da coordenadora Artística do IORM, Valeria Pazeto. 

Durante a live, a educadora Márcia Pereira de Jesus enfatizou que  “para o espetáculo ser realizado foi preciso  um aprofundamento de estudos de videodança por meio do apoio dos profissionais da Unicamp que nos auxiliaram para as gravações e edições dos vídeos. Foram criadas estratégias para que tudo isso fosse concretizado. Fizemos visitas até a casa dos alunos que precisaram de auxílio com as gravações e também, desenvolvemos todo o processo de elaboração e criação desse espetáculo virtual.”, disse. 

Durante a live, os professores  aprofundaram a apresentação da concepção sobre  cada elemento da natureza estudado.  

Alunos opinaram 

Os educadores consideraram muito positivo o retorno dos alunos sobre o processo de criação. O que foi demonstrado durante as lives pela manifestação nos chats abertos para comentários. 

“Eu achei o vídeo muito legal porque todos os alunos apareceram e o vídeo tenho certeza que foi feito com muito amor e carinho e ficou muito legal mesmo virtual.”, afirmou a aluna Isabella Machado Imon, da turma iniciante dois do período da tarde, no núcleo do IORM em Miguelópolis. 

“Amei o elemento que a gente vai representar esse ano, e o jeito de que foi montada a coreografia com todos os vídeos e a participação de todas, um jeito de encaixar o espetáculo no tempo em que a gente está vivendo.”, salientou a aluna Júlia Barbosa da Silva Amorim, da turma Intermediária quatro, do período da tarde, também no núcleo do IORM, em Miguelópolis. 

“Eu amei o espetáculo virtual, por conta de que tiveram várias pessoas fazendo os passos cada uma com o seu próprio jeitinho. Foi bem diferente porque todas nós estamos acostumadas a um espetáculo presencial, porém com esse período que estamos passando foi um momento muito especial.”, salientou em sua participação na live, Marcelly Bondezan Rocha. 

As lives foram encerradas com o depoimento das Assistentes Sociais que integram a equipe social do IORM, relatando sobre a participação da área no processo de criação e de aproximação com alunos e suas famílias. 

Anelisa Perticarrara Canivarolo Machado 

Comentários

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.