“Lacradores LGBTQ+ atacam o jogador de vôlei Maurício Souza”, diz deputado Marco Feliciano

Nos que já fomos vítimas de ferrenhas perseguições por grupos minoritários que tentam de todas as formas calar quem pensa ao contrário deles, me refiro ao movimento LGBTQ+ que durante minha permanência na Comissão dos Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados, tentaram de todas as formas me destituir afim de recolocar esquerdistas que distribuíam vultuosas verbas para seus encontros e ataques as nossas crianças através da famigerada ideologia de gênero, fui hostilizado juntamente com minha família, minhas filhas obrigadas a ir para o exterior, enfim superamos graças a Deus. Muito triste, tenho notícia de que os lacradores LGBTQ+ agora atacam o grande jogador da Seleção Brasileira de Vôlei Maurício de Souza, que por pedido dos patrocinadores do Minas Tênis Clube, Fiat e Gerdau, foi eliminado dos quadros do clube sem ao menos ter a chance de se defender, visto que se desculpou explicando que não teve a intenção de ofender ninguém, mas apenas expressar sua opinião, o que ficou claro ser também a opinião de milhares de pessoas que prestaram solidariedade ao jogador, e acrescentando milhões de seguidores as suas mídias sociais.


Me causou estranheza a atitude do técnico da Seleção Brasileira de Vôlei Renan dal Zotto que declarou estar banindo Maurício Souza da seleção por ser homofóbico, condenar um grande atleta a uma pena injusta e perpétua, é digno de um circo de horrores, sem o mínimo senso de respeito e justiça.

-A matéria continua depois da publicidade-

Finalizo pedindo a Deus que ilumine os responsáveis pelo lindo esporte do vôlei que repensem suas intempestivas atitudes e devolva ao povo de Minas seu ídolo. Que derrame as mais escolhidas bênçãos celestiais a todos brasileiros que ousam pensar diferente.


Pastor Marco Feliciano

Comentários

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.