Carnaval: História da República Tá Na Gaiola

Em dezembro de 2018, um grupo de amigos orlandinos se reuniam aos finais de semana para se divertir, hoje o grupo é composto por Camila Leal, Mariana Fructuozo, Micaela Ricci, Thalia Fernanda e Vitor Lopes, mas nunca serão esquecidos aqueles que participaram para que a república seguisse até hoje. Contudo tiveram a ideia de fazer uma camiseta personalizada, apenas para membros do grupo, para passarem o Carnaval de 2019, surgiu ali mesmo, e neste mesmo dia eles criaram a República Tá Na Gaiola. O nome da república veio derivado de uma música que fazia muito sucesso na época, o Medley da Gaiola com Kevin o Cris e Dennis Dj, a escolha foi rápida e todos concordaram, a partir de então, surgiu o abadá.

Pesquisas foram feitas e a tal estampa foi escolhida, seguindo os conceitos de moda do ano, uma tendência visual, que naquele ano seria o floral, com essa ideia inicial foi criado a estampa do Ta Na Gaiola, tendo um pássaro vermelho como seu símbolo, desenvolvido por Mariana Fructuozo. 

-A matéria continua depois da publicidade-

Criaram um perfil no Instagram, em 16 de dezembro de 2018, para divulgações e sem intenção do quanto iriam vendar, a surpresa foi que grande, tiveram um enorme reconhecimento, e a república com seu abadá criado em uma noite alcançou a marca de 130 camisetas vendidas. Em 16 de fevereiro de 2019 a cidade realizou um pré-Carnaval realizado na Associação Atlética de Orlândia e a Tá Na Gaiola foi convidada para ser o abadá oficial da festa, foi realmente muito satisfatório para eles naquela Carnaval de 2019 ver tantas pessoas com seu abadá colorindo e florindo a Praça dos Imigrantes onde são realizados os Carnavais de Orlândia/SP. 


Este ano a república retorna, mais uma vez prometendo um abadá totalmente diferenciado, com uma tendência de moda e representatividade. Estarão homenageando o continente Africano ,as cores preto, verde e amarelo se destacam, assim como na bandeira africana, curiosamente essas cores são extremamente representativas, o preto simbolizado o povo, lembrando que cerca de 56% da população brasileira e feita por pretos, ou seja, mais da metade, é um povo que em sua maioria se torna minoria pelo descaso e preconceito, o verde simboliza a fertilidade e o amarelo a riqueza do subsolo, assim como o Brasil, esse abadá no final se tornou a junção de dois grandes povos.  

Comentários

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.