Como contrapartida da Lei Aldir Blanc, IORM realiza ação de disseminação cultural em escolas de Orlândia

Escolas de Orlândia receberam nos meses de abril e maio, apresentações presenciais realizadas pelo Instituto Oswaldo Ribeiro de Mendonça – IORM. As quatro apresentações são contrapartidas sociais da lei Aldir Blanc no município de Orlândia e alcançaram um público de cerca de 670 pessoas.

-A matéria continua depois da publicidade-

As duas primeiras apresentações foram dedicadas a alunos, educadores e colaboradores da Escola Municipal de Ensino Básico Coronel Francisco Orlando, no dia 28 de abril. Realizadas em períodos alternados, a primeira apresentação reuniu um público de 197 espectadores, no período da manhã. A apresentação da tarde contou com a presença de 163 espectadores. Somadas, as duas apresentações alcançaram um total de 360 espectadores.

As terceira e quarta apresentações ocorreram no dia 19 de maio, na Escola Municipal de Ensino Básico Alcinea Gouveia de Freitas, totalizando 303 espectadores. No período da manhã, a apresentação contou com 163 espectadores. Já no período da tarde 140 pessoas, entre alunos, educadores e colaboradores da escola assistiram ao espetáculo.

Durante o diálogo com a equipe do IORM, crianças da plateia revelaram nunca ter assistido a um espetáculo de dança. Também disseram não saber como funciona o processo de criação de um espetáculo.

Arte e Pandemia

A equipe artística, por meio de dinâmicas e da apresentação de fragmentos do espetáculo Cores que Curam, convidou as crianças a refletirem sobre a nova rotina em período pandêmico e a diversidade de sentimentos provocadas pelo isolamento e distanciamento social.

A assistente social do IORM, Laís Cunha levou os espectadores a refletirem  sobre o processo criativo e a origem do espetáculo: “o momento de distanciamento social foi determinante para o desenvolvimento de sentimento de ansiedade que afetou os escolares de diferentes formas e graus”, destacou. Laís contou para a plateia que antecedendo a montagem do espetáculo, o IORM distribuiu aos seus alunos um kit com tintas, papel, barbante e pincel. Esses materiais foram utilizados junto a movimentos com o corpo, produzindo um desenho. A atividade de cada aluno foi gravada em vídeo, o passo seguinte, cada aluno teve a tarefa de descrever em texto o que eles gostariam de expressar por meio desse desenho e o porquê de terem escolhido determinada cor. Também informaram o significado da cor para cada um. Em seguida, os desenhos foram observados e sintetizados por turma , mediante analise dos educadores do IORM.

A assistente social também relatou a relação dos alunos do IORM com a Casa Sensorial, um espaço criado especificamente para dar vida ao espetáculo. “Para cada cor escolhida pelas turmas, preparamos um cômodo com essa cor especifica”. Inicialmente os educadores do Instituto fizeram visita à Casa Sensorial para refletirem como cada cor afetava a sua realidade e o que trazia de significado. Posteriormente, os alunos visitaram a casa, expressando uma  diversidade de sentimentos.

Por meio de rodas de conversa os educadores trabalham com os alunos o significado de cada cor, e revelada a cor de cada turma. “Pedimos para que cada um desenhasse ou escrevessem algo sobre essa cor, descrevendo sobre esse significado. A partir disso, foram criadas as coreografias do espetáculo.”, todo o processo foi realizado mediante coordenação de Valéria Pazeto,  afirmou Laís.

Depois de cada apresentação foram feitos   registros fotográficos dos alunos do IORM e das escolas. Muitos dos escolares revelaram que sentiram-se impactados pelas coreografias e muitos deles expressaram o desejo de fazer parte do projeto.

Lei Aldir Blanc

As apresentações realizadas integram a ação de Disseminação Cultural promovida pelo IORM como contrapartida social da Lei Aldir Blanc, por meio da  Secretaria Municipal de Educação e Cultura de Orlândia através do edital de chamamento público para seleção e premiação de propostas vinculadas ao setor artístico e cultural do município de Orlândia, SP, nos termos do inciso III, do art. 2º da lei federal nº 14.017, de 29 de junho de 2020.

O Edital selecionou propostas em atenção, auxílio emergencial para o setor da cultura, durante o período de pandemia, através do oferecimento de subsídio financeiro para a manutenção das entidades culturais.

O Espetáculo é fruto das Oficinas de Artes Usina da Dança 2021/2022 desenvolvidas pelo Projeto Agenda Cultural. A Disseminação Cultural realizada pelo IORM conta com apoio e patrocínio da Lei Aldir Blanc e  Governo Federal, no ano de 2022, do Departamento de Cultura e Conselho Municipal de Cultura de Orlândia.

Comentários

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.