SANOR investe R$ 34 milhões em 120 dias de atividades em Orlândia

Há quatro meses, a SANOR assumiu os serviços de água e esgotamento sanitário de Orlândia e desde essa data, já investiu R$ 34 milhões dos R$ 43 milhões inicialmente previstos para o primeiro ano de atuação. 

Um dos principais desafios, neste primeiro ano, é a adequação e modernização do sistema de abastecimento da cidade, objetivando a melhoria da qualidade e as condições do serviço prestado à população. O contrato de concessão prevê a universalização dos serviços de saneamento nos seis primeiros anos de atuação da SANOR e todas as ações estão sendo feitas para adequar o sistema de Orlândia. 

-A matéria continua depois da publicidade-

O combate às perdas de água é outro desafio da empresa. Além de ser uma obrigação contratual, fiscalizada pela Municipalidade e pela Agência que regula a prestação dos serviços, a (ARES-PCJ), essa atividade é uma ação socioambiental importante, que contribui na exploração dos mananciais de forma racional e na redução de gastos de produtos químicos e de energia elétrica, resultando em um sistema mais eficiente e sustentável. 


Planejamento e diagnóstico da operação e do sistema 

Para identificar como o sistema estava operando e quais as discrepâncias entre a capacidade de produção e o que estava sendo entregue, especialistas estudaram com profundidade e identificaram, inclusive, os principais fatores que provocam as constantes falta de água na cidade.

Também foi feito um inventário de todos os equipamentos e ativos do Departamento de Água e Esgoto (DAE), perícia técnica de todo o sistema, georreferenciamento da rede de água e esgoto, aferição de vazão dos poços, início do recadastramento comercial e projetos estruturais visando a recuperação emergencial da Estação de Tratamento de Água (ETA) e de cinco principais reservatórios. 

Esse levantamento auxiliou na definição do plano de ação dos primeiros 180 dias, incluindo quais as medidas emergenciais deveriam ser tomadas para aumentar a oferta de água nos meses mais quentes e secos do ano que, em Orlândia, vai de agosto a outubro. 

Novos equipamentos 

Além da manutenção realizada em todos os equipamentos, a SANOR efetuou aquisições de outros necessários para o dia a dia da operação, destacando  um novo e completo laboratório de análises físico-químicas, veículos elétricos para suporte operacional, equipamentos importados da Alemanha para detecção de vazamentos, conjuntos motobomba reserva para os poços Morada do Sol 1, Morada do Sol 2, P1, P4, P5, P7 e P3 (Poço da Gruta) e equipamentos de trabalho de médio porte, como marteletes, compactadores de valas e rompedores, entre outros. Só em equipamentos, foram investidos, durante os 120 dias de atuação da SANOR, mais de R$ 800 mil. “Aumentamos o número dessas equipes, antes uma, para quatro. Com o aumento no efetivo, conseguimos agilizar as ações desse serviço à população”, afirma Guilherme Dias, diretor-presidente da SANOR. 

O investimento em recursos humanos também faz parte do plano de melhorias da empresa. Novas vagas foram criadas, gerando 35 empregos diretos (desses, 32 da cidade de Orlândia) e 180 indiretos. A capacitação contínua dos colaboradores faz parte do planejamento estratégico e diversos treinamentos já foram realizados, destacando-se alguns como a Qualificação de Operadores de Estação de Tratamento de Água (ETA); Análise físico-química da água; Dosagem de produtos químicos para tratamento de água; Localização e eliminação de vazamentos não visíveis determinando direcionamento de redes e ramais perdidos com novas técnicas e métodos; Localização de ligações irregulares; Curso de instalador hidráulico (certificado pelo Senai) e Curso de introdução ao planejamento financeiro de concessões, entre outros. 

Atendimento 

Nos quatro meses de atuação, a SANOR realizou mais de quatro mil atendimentos à população. Desse montante, 3.800 foram presenciais, na loja da empresa, localizada na região central da cidade. “Disponibilizamos um espaço confortável, climatizado, com ótima infraestrutura para atendimento, totem para autoatendimento e profissionais especialmente treinados para melhor atender as pessoas que nos procuram”, comenta Guilherme. 

Visando maior conexão e integração com os clientes, a SANOR ampliou os canais de atendimento ao público. O número (16) 2174-6300 recebe ligações e mensagens via WhatsApp das 7h às 17h. Foi implantado um serviço de ligação gratuita pelo 0800 757 6300, que funciona 24h. Há ainda as opções de contato por meio do “Fale Conosco” no site www.sanor.com.br, o e-mail atendimento@sanor.com.br e as redes sociais Instagram e Facebook. 

“Estamos em fase final da implantação do aplicativo SANOR, com diversas funcionalidades que melhorarão ainda mais a experiência do usuário. O lançamento será feito em breve”, afirma Guilherme. 

Para trazer mais comodidade aos clientes, ampliamos as formas de pagamento, compreendendo os serviços de internet banking (Caixa Econômica Federal, Itaú, Santander, Nubank e Sicredi), caixas eletrônicos (Caixa Econômica Federal, Itaú, Santander e Sicredi), débito automático (Itaú e Sicredi), lotéricas e os pagamentos com cartão de crédito, débito e Pix efetuados na loja de atendimento SANOR ou pelo site www.sanor.com.br.  

Melhorias efetuadas em 120 dias 

A SANOR realizou diversas ações que já refletiram na melhoria do serviço prestado. Na Estação de Tratamento de Esgoto (ETE), houve a remoção de mais de 62% de Demanda Bioquímica de Oxigênio (DBO), que é a quantidade de oxigênio consumida por microrganismos presentes em determinada amostra de um efluente, como por exemplo, o esgoto doméstico e o industrial. “A DBO é um parâmetro para verificar a eficiência na decomposição de matéria orgânica pois, se ela estiver elevada, quer dizer que a matéria orgânica está sendo consumida. Quanto mais removemos a DBO, mais pura estamos deixando a água, então isso tem a ver com consciência ambiental e melhor qualidade de vida à nossa cidade”, explica o diretor-presidente da SANOR. De acordo com ele, a meta prevista era eliminar 60% da DBO a partir do terceiro ano – índice já atingido no primeiro mês de operação – e chegar a 85% a partir do 7º ano. 

Na Estação de Tratamento de Água, construída na década de 1950, foram feitos ensaios e análises para verificar sua capacidade e eficiência. “Precisávamos confirmar se ela estava operando de acordo com a Portaria 888/21, do Ministério da Saúde, que diz respeito à potabilidade da água”, comenta Guilherme. Ele destaca ainda outra antecipação dos investimentos contratualmente previstos, que será o início e operação da nova ETA, com captação subterrânea, na Rua J. Também foram feitas correções na dosagem de produtos químicos e no fluxo de tratamento, incrementando a capacidade de tratamento de água da ETA em mais de meio milhão de litros de água por dia. 

Além de já ter implantado o monitoramento e vigilância em circuito fechado de TV de todas as áreas operacionais, a SANOR já iniciou a automação de 100% do sistema de abastecimento da cidade. Todos funcionarão de forma 100% autônoma, monitorados por meio de um Centro de Controle Operacional (CCO) com adoção de tecnologia de ponta SIGA (Sistema Integrado de Gestão de Abastecimento). 

A SANOR também está implantando os dispositivos de manutenção preventiva nos equipamentos eletromecânicos. Esses dispositivos emitem dados como vibrações, temperatura dos equipamentos e desperdícios de energia, entre outras. Os dados, analisados por inteligência artificial, permitem prever quebras e antecipar problemas, reduzindo assim as interrupções no abastecimento para manutenções corretivas, que são mais caras e demoradas do que as preventivas. “Estamos trazendo essa tecnologia que é de última geração e inédita para a operação e que proporcionará um benefício enorme, já que antecipará problemas e nos permitirá agir preventivamente, antes que as quebras aconteçam, reduzindo o tempo gasto em manutenção corretiva”, afirma o diretor. 

Ainda no que diz respeito à manutenção preventiva, tem sido feitas reformas de máquinas e equipamentos e adequação das bombas às suas reais capacidades. 

Outra etapa do projeto de melhoria do serviço elaborado pela SANOR compreende o recadastramento de clientes, que teve início em setembro e se estenderá até o fim do ano. Os agentes da empresa percorrem os bairros, visitando todas as casas para atualizar o cadastro dos moradores. Com os dados atualizados, será possível ter um trabalho mais estratégico que permitirá um maior planejamento e, aliada à automação, uma melhor distribuição de água pelo sistema, além de facilitar as demandas criadas pelos canais de atendimento ao público, entre outras. 

A SANOR está trabalhando sem medir esforços nas redes de distribuição de água e coleta de esgoto reduzindo as perdas e ligações irregulares, tanto de água, como de esgoto e vai intensificar a fiscalização de irregularidades. Para isso, além de ter mais equipes nas ruas, fará uso de tecnologias de ponta como drones e microcâmeras que possibilitam identificar anomalias como ligações irregulares de água e esgoto e os desvios, popularmente conhecidos como “gatos”. O furto de água é um dos maiores vilões no abastecimento e, além de ser crime previsto no Código Penal, diminui a capacidade de distribuição, tira pressão da Rede, provoca paradas na distribuição e contamina a rede de distribuição. 

Revitalização dos poços 

A revitalização dos poços é um trabalho considerado essencial pela SANOR para a melhoria da qualidade da água e aumento de sua oferta na cidade. Os serviços de revitalização começaram pela aferição da vazão de todos os poços, em seguida, definidas as prioridades, são feitas a retirada das bombas (algumas instaladas a uma profundidade superior a 400m), filmagens para verificação e diagnóstico da integridade de toda a sua estrutura, limpeza, manutenção e instalação das novas bombas. As antigas são encaminhadas para recuperação ou substituição e ficam como reserva para o caso de quebras das bombas “titulares”. 

Os Poços 1, 5, 4, 7, Morada do Sol 1 e Morada do Sol 2 já foram revitalizados, o Poço 3 (conhecido como Poço da Gruta) está em manutenção nesse momento e o Poço 2 será revitalizado em janeiro de 2023. “Para se ter uma ideia da importância dessa atividade, após esse trabalho, os Poços 1 e 5 tiveram um aumento de mais de um milhão de litros de água por dia. Os Poços 4 e 7 estão operando com 400 mil litros a mais de água por dia e a expectativa é que só o Poço da Gruta tenha um aumento de, no mínimo, 600 mil litros por dia”, explica Guilherme. 

Ainda de acordo com ele, os dois poços do bairro Morada do Sol tiveram melhoria do sistema com a resolução de problemas estruturais e, agora, operam com 120 mil litros de água por dia. O diretor ressalta que, graças aos equipamentos de detecção de vazamentos adquiridos, foi possível encontrar um registro aberto que desaguava diretamente na rede de drenagem pluvial desde a construção do Morada do Sol, e que prejudicava muito a disponibilidade de água no bairro. 

“Todas essas ações que a SANOR promoveu fizeram com que houvesse a redução da intermitência e a falta de água mesmo nos períodos críticos de seca e calor mais intensos. Sabemos que ainda há muito a ser feito, mas vários problemas foram minimizados. Estamos trabalhando fortemente para que a população de Orlândia tenha um serviço de abastecimento de água e esgotamento sanitário de excelência, pois é isso o que ela merece”, finaliza o diretor-presidente da SANOR. 

Integridade e Governança 

Comprometida com a ética e os mais altos níveis de Governança, o Código de Conduta e as Políticas anticorrupção da SANOR se aplicam a todos os seus colaboradores e parceiros. A empresa trabalha com mecanismos de prevenção, detecção e resposta que visam a promoção e o fortalecimento da cultura ética e de integridade da SANOR. Para isso, a empresa também possui, além do Conselho de Acionistas, um Comitê de Ética, formado desde a criação da companhia. Esse Comitê, autônomo e independente, também implantou um Canal externo de denúncias que pode ser acessado pelo site da empresa (www.sanor.com.br) ou diretamente no link canal.ouvidordigital.com.br/sanor.  

Por meio desse canal, qualquer pessoa pode denunciar atos de corrupção, desrespeito ou intolerância que venham a ser praticados por quaisquer de seus colaboradores e prestadores de serviço. Segundo Guilherme, “as denúncias são direcionadas a uma empresa externa e são analisadas por um comitê autônomo e independente, ao qual não temos acesso. O comitê apura as denúncias e garante o sigilo da pessoa que denunciou”, afirma. 

Sobre a SANOR 

A SANOR é uma empresa de Orlândia (SP), com expertise no setor de saneamento básico, responsável pelos serviços públicos de abastecimento de água e esgotamento sanitário no município, após vencer o leilão, em 2022. 

É responsável pelo ciclo integral da água, desde a captação, tratamento e distribuição, gestão comercial até a coleta, tratamento e disposição final dos esgotos. 

Utiliza tecnologia de ponta para prestar serviços com excelência, promovendo a cidadania, saúde e mais qualidade de vida à população. Atua em prol do desenvolvimento de Orlândia, sempre priorizando mão de obra e fornecedores locais. 

A SANOR trata a sustentabilidade como um tema transversal em todas as áreas da empresa, por isso, trabalha ativamente para equilibrar os aspectos sociais, ambientais e econômicos do negócio. 

FONTE: Assessoria de Imprensa SANOR

Comentários

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.