Aplicativo quer concorrer com WhatsApp no Brasil

Lançado em junho deste ano, o SayMe Messenger é um aplicativo brasileiro de mensagens com uma meta para lá de ousada:  chegar a 100 milhões de usuários em três anos, se tornando uma alternativa para o Whatsapp, hoje líder absoluto de preferência no país.

Caso alcançada, a meta seria um crescimento exponencial sobre os 12 mil usuários que o aplicativo possui hoje. 

-A matéria continua depois da publicidade-

Para chegar lá, a SayMe aposta em diversas funcionalidades não disponíveis no WhatsApp, como a transcrição automática de áudios de até um minuto e aumento das fontes de texto até 28 pontos, contemplando pessoas com deficiência auditiva e visual, respectivamente.

Também é possível realizar o agendamento do envio de mensagens e dar um título de até 30 caracteres para identificar mensagens de voz.

O aplicativo nasceu com a possibilidade de desativação do status “on-line”,  bloqueio de capturas de tela e do encaminhamento de mensagens e arquivos, as quais auxiliam no combate às fake news e vazamento de fotos íntimas. 

Essas últimas, em particular, eram opções desejadas pelos usuários do WhatsApp. Mas, numa prova de que o caminho da SayMe é pedregoso, essas mesmas funcionalidades, muito aguardadas pelos usuários, foram disponibilizadas pelo WhatsApp no início de agosto.

Em setembro, o SayMe ganhará uma versão corporativa para micro, pequenas, médias e grandes empresas, a qual contará com pacotes de assinatura que contemplarão planos de um até 100 colaboradores, funcionando como uma espécie de intranet, o que pode vir a alavancar o número de usuários.

O aplicativo para empresas só poderá ser acessado com um e-mail corporativo e ficará disponível para uso apenas durante o horário de expediente determinado por um gestor, sob possibilidade de liberação de horas extras, evitando o descumprimento dos direitos trabalhistas.

Reportagem completa no link.

Comentários

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.