“Redução do ICMS pode reduzir o preço da gasolina”, diz Deputado Federal Pr. Marco Feliciano

O grande questionamento do momento se refere aos preços dos combustíveis, na qualidade de legislador me debruço sobre o problema, estudando formas de contribuir para minorar o sofrimento geral.

Nós brasileiros pagamos uma taxa tributária alta em cima dos combustíveis. Segundo a ANP (Agência Nacional de Petróleo). Gás natural e biocombustíveis, os impostos representam 44% do preço da gasolina no Brasil, 28% são impostos estaduais ICMS e 15% corresponde a taxas federais.

-A matéria continua depois da publicidade-

Devemos conscientizar os governadores dos Estados a elaborar novas planilhas afim de reduzir impostos, mas ninguém quer cortar da própria carne, como se diz, orçamento fechado, orçamento inflexível, todavia há de se achar fórmulas que baixem os preços da gasolina e do diesel para o consumidor final, pois, o preço do combustível onera toda cadeia de consumo.

Por ser uma commodity o petróleo é comercializado em dólar, portanto se o real se desvaloriza em relação ao dólar, fica mais caro pra nós adquirir petróleo para produzir gasolina. Esse valor mais alto tende a ser repassado para a planilha da produção e chegar aos consumidor final.

O governo Federal tem o maior interesse em que sejam diminuído os preços da gasolina e óleo diesel, mas não tem poder de influenciar a Petrobras nesse sentido, por se tratar de um empresa, como já disse, de economia mista, portanto com ações em bolsa até no exterior, e seus investidores tem o direito de estabilidade nos investimentos como manda as tradições do mercado, com decisões populistas na Petrobras, governos passados levaram a estatal a prejuízos altíssimos, quase falindo a empresa ,que por milagre consegue se recuperar e voltar a ser viável perante o mercado internacional.

Finalizo pedindo a Deus que nos dê sabedoria para influenciar quem pode dar uma parcela de sacrifício para a diminuição do preço da gasolina e diesel.

Pastor Marco Feliciano

Comentários

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.