2º LUGAR | Mais notícias

Aluno de Orlândia é finalista do projeto EPTV na Escola 2016

Aluno de Orlândia é finalista do projeto EPTV na Escola 2016
Novacidade.com | 21/10/2016 - 16:24:02

O tema das redações foi “O Brasil que eu vou ajudar a construir”.

O projeto EPTV na Escola 2016 propôs que alunos de escolas públicas e particulares refletissem sobre o tema: “O Brasil que eu vou ajudar a construir”. As secretarias municipais de educação de 65 municípios da área de cobertura da EPTV Ribeirão Preto selecionaram os melhores trabalhos de redação entre 26.369 inscritos. Ao todo, 356 escolas públicas e particulares participaram da décima sétima edição do projeto.

Os estudantes semi-finalistas selecionados visitaram a sede da EPTV Ribeirão Preto e conheceram a rotina dos profissionais de comunicação da emissora.

Os autores dos 10 textos destacados por comissões julgadoras formadas por profissionais da EPTV e professores universitários vão ser premiados com televisores. O alunos que conquistou a primeira colocação também é convidado para um passeio com destino ao Sesc de Bertioga (litoral norte de São Paulo).

Pelo segundo ano consecutivo, alunos da E.M.E.B. Profª Maria Aparecida de Melo e Souza de Orlândia são finalistas do projeto. Destaque para o aluno Wallace Moratto de Carvalho que ficou em segundo lugar este ano.

FINALISTAS EPTV NA ESCOLA 2016
1º LUGAR
Johnata Lima da Silva
Guariba
E.M.E.B. “Gino Bellodi”
Profª Andréa Morato de Faria
Título redação: “A palavra é descontruir”

2º LUGAR
Wallace Moratto de Carvalho
Orlândia
E.M.E.B. Profª Maria Aparecida de Melo e Souza
Profª Débora Macedo Zabalar Crotti
Título redação: “Medalha de ouro”


---------------------------------------------------
REDAÇÃO
Nome: Wallace Moratto de Carvalho – 9ºA
Profª. Débora Macedo Zabalar Crotti


Quando recebi aquela medalha, sabia que era uma conquista importante, mas só me dei conta da real importância dela quando, em meio aos aplausos da plateia, avistei minha mãe, emocionada, com os olhos brilhando tanto quanto o símbolo de nossa vitória. Lembrei-me da dedicação dos meus pais que, sempre me apresentavam desafios para que eu me superasse. Não eram testes que exigiam força ou agilidade física, e sim raciocínio lógico. Graças a eles, eu me encantei pela matemática. Na escola, a Olimpíada Brasileira de Matemática para Escolas Públicas surgiu como um grande desafio. Com determinação e a orientação dos meus professores que me ofereceram um bom treinamento, eu conquistei a tão desejada medalha de prata.
Neste ano em que o Brasil é sede dos Jogos Olímpicos, estarei treinando em busca da medalha de ouro na Olimpíada Brasileira de Matemática. Esta ciência é a base para o desenvolvimento de diversas tecnologias que promovem a economia dos países a níveis superiores e nos permite somar esforços, reduzir as diferenças sociais, multiplicar riquezas e dividi-las de forma mais justa. Na condição de atleta com os números, quero remar para que o Brasil possa arremessar para longe o status de pais em desenvolvimento e possa dar um grande salto em tecnologia.
Sei que não estou sozinho. Assim como os atletas olímpicos se dedicam às modalidades que representam, milhares de jovens brasileiros se dedicam aos estudos e acreditam na importância da educação e no trabalho dos cientistas para que o nosso pais atinja o pódio em ciência e tecnologia. Mais que a medalha de ouro na Olimpíada de Matemática, que eu continuarei perseguindo, meu sonho é ver nos olhos de milhões de brasileiros o orgulho de pertencer a esta nação e o mesmo brilho que vi naquele dia nos olhos de minha mãe.
---------------------------------------------------

Em 2015, Wallace Moratto de Carvalho foi medalha de prata na OBMEP (Olimpíada de matemática das escolas públicas).

CONTINUAÇÃO DOS FINALISTAS:

3º LUGAR
Eduardo Pereira Filho
Bebedouro
Colégio Anjo da Guarda
Profº Celso Ricardo Salvatore
Título redação: “O Brasil e suas operações”

4º LUGAR
Lucas Henrique Zapela
Colina
E.T.A.M. São Francisco de Assis
Profª Silvia Helena Gomes Moralles
Título redação: “Eu poderia ter feito, mas não fiz”

5º LUGAR
Letícia Gabriela Santana Alves
Sertãozinho
E.M.E.F. Profº José Negri
Profª Elaine Bisson de Souza
Título redação: “Uma gota no oceano”

6º LUGAR
Beatriz Bril Biffi
Guatapará
E.M.E.F. Profª Andréia Sertori Sandrin
Profª Renata Aparecida Venditi Maziero
Título da redação: “O essencial foge aos olhos / O invisível que precisamos enxergar”

7º LUGAR
Júlia Nascimento dos Santos Pereira
São Joaquim da Barra
Escola FEAM COC
Profª Valter Frias Mariano
Título da redação: “País do futuro, ações do presente”


8º LUGAR
Jhenifer do Nascimento
Taquaritinga
E.E. Profª Carmela Morano Previdelli
Prof ª Elizabete Pereira Pardinho
Título redação: “Sonhar é preciso”

9ª LUGAR
Fábio Matheus M. Galiani
Serrana
E.M.E.F. Maria Celina Walter de Assis
Profª Silvia Cândido
Título redação: “Pequenas coisas”

10º LUGAR
Ana Victória Ribeiro Bozzo
Sertãozinho
E.M.E.F. Profº Antonio Cristino Cabral
Profª Divina Aparecida Garcia Martins Arosti
Título redação: “Nossa força jovem!”

CLASSIFICAÇÃO GERAL DOS FINALISTAS: Para ciência da colocação – não tem prêmios.

11º LUGAR
Giovanna Bastos Souza
Cravinhos
E.E. Bairros Francisco Castilho
Profª Tania Pereira
Título redação: “O país que eu quero pra mim”

12º LUGAR
Caio Rodrigues Lima
Viradouro
E.M.E.F. Milton Marçal Silveira
Profª Rosemary Ferreira Zucolotto
Título redação: “Mobilização Joven”

13º LUGAR
Letícia Caroline Facci
Viradouro
E.M.E.F. Milton Marçal Silveira
Profª Rosemary Ferreira Zucolotto
Título redação: “Ações que transformam vidas”

14º LUGAR
Julia Grasieli Origuela
Monte Azul Paulista
E.M.E.B. Manoel Rodrigues Villarinho Filho
Profª Meire Susana M. Shreiner
Título redação: “A mudança vem de cada um”

15º LUGAR
Zélia Lopes da Silva Santos
-Santa Ernestina
Escola Capitão Joel Miranda
Profª Rosângela da Silva
Título redação: “Uma gotinha no oceano”
Maria Vitória de Freitas
-Guariba
E.M.E.B. Gino Bellodi
Profª Andréia Morato de Faria
Título redação: “Fé, força e coragem”

16º LUGAR
Rafiza Gabriela Sousa Rosa
Sertãozinho
E.M.E.F. ProFº Raul do Prado Vianna
Profª Helena Maria Freitas Pignata
Título redação: “Giz de conhecimento”

17º LUGAR
Michael Aparecido Lourenço
Colina
E.M.E.F. Lamounier de Andrade
Profª Mariana Paro
Título redação: “Conversa de gigantes”

18º LUGAR
Vitória Emily Duarte da Silva
-Jardinópolis
E.M.E.F. Profª Nair Saud Conti
Profª Amanda F. da Silva Barberato
Título redação: “Um país sem coração”
Lívia Eduarda Miguel
-Cássia dos Coqueiros
E.M.E.B. Abel do Reis
Profª Mônica C. Siqueira de Lima Silva
Título redação: “A micropolitica como meio de transformação política, social e econômica”
Lívia Contin Chufalo
-São Joaquim da Barra
FEAM COC
Profº Válter Frias Mariano
Título redação: “Mãos dadas”

19º LUGAR
Manoela Pretel Neves
São Simão
E.E. Caputão Virgilio Garcia
Profª Marta Izabel Bigaram
Título redação: “A expectativa de um Brasil melhor”

Maria Luiza Antunes Costa
Barrinha
E.M.E.F. Profª Darvy Mascaro
Profª Vilma Vieira Ribas Camolesi
Título redação: “O Brasil em reforma”

Yan dos Santos Oliveira
Itirapuã
E.E. Profº Henrique Lespinasse
Profª Antonella Comodaro
Título redação: “Brasil Perfeito”

Karolayne Peixoto
-Guariba
E.M.E.B. Profª Maria Cecília P. de Faria
Profª Lábata Siqueira
Título redação: “Brasil a Karolayne”
Taíne Candido da Silva
-Ribeirão Preto
SESI 362
Profª Eilaine
Título redação: “O prédio novo”

20º LUGAR
Fernanda Costa Macedo de Souza
-Igarapava
Escola Viva Educação Inf. Ensino Fund. e médio
Profª Rosa Maria Junqueira de Barros
Título redação: “A metamorfose de um país”
Olavo Bira
-Monte Alto
Colégio Visão Anglo
Profº Eduardo Costa
Título redação: “Brasil nosso de cada dia”

21º LUGAR
Lucila Pavanin de Souza
Monte Azul Paulista
Colégio Alternativo
Profª Fabiana Boter Ducatti
Título redação: “Semente de Pau-Brasil”

22º LUGAR
Alice Eduarda Ortega Souza
Barretos
E.E. Cel. Almeida Pinto
Profª Célia Perpétua Siqueira
Título redação: “O que o Brasil mais precisa é de união”

23º LUGAR
Antônio Felipe Martins Lino da Cruz
Rifaina
E.E. Professora Henriqueta Rivera Miranda
Profª Jussara dos Reis Santana
Título redação: “Brasil: um país preservado, justo e solidário”

24º LUGAR
Diego dos Reis da Silva
Guaíra
E.E. Enoch Garcia Leal
Profª Silvana C. Grossi
Título redação: “Jogada Infalível”

25º LUGAR
Mayara Silva Oliveira dos Santos
-Brodówski
E.M.E.F. Profª Nair Duarte do Páteo Franzoni
Profª Leonice Garcia Benetti
Título redação: “Fazer o bem, faz bem”
Ivan Carlos Lima da Silva
-Jeriquara
E.M.E.F. Wanderitt Victal Ferreira Alves
Profº Lázaro José Santiago
Título redação: “Crianças, adolescentes e jovens, o futuro do Brasil”

26º LUGAR
Kaylane Gil dos Santos Oliveira
Jaborandi
E.M.E.F. Arcanjo Gabriel
Profª Tatiana Bianqui Sales Botega
Título redação: ”Meu Brasil! Meu povo!”

27º LUGAR
Lucas Zavadelli
São Simão
Capitão Virgílio Garcia
Profª Marta Izabel Bigaram
Título redação: ”Pensador”

ORLÂNDIA - ALUNOS FINALISTAS [ ANEXO A REDAÇÃO ]
Nome: Ana Laura Tomaz Porfírio – 9º C
Profª. Leila Aparecida Lourenço Silveira
E agora José? O emprego sumiu, a inflação aumentou, a corrupção se espalhou. E eu? Vou ficar aqui trocando mensagens no WhatsApp?
Quero ser como o José da minha rua, que acordou cedo, se veste na esperança e dá a largada para um novo dia. É assalariado, mas divide os mantimentos que tem com famílias mais necessitadas. Ao cruzar a linha de chegada do seu lar depois do trabalho, reconhece que não ficou mais rico, porém é recompensado com a medalha da solidariedade. Também quero ser como o José da minha escola arremessa o conteúdo da aula esperando que volte em forma de questionamentos. Faz a mente dos alunos dar belos dribles na ignorância. Essas atitudes reservam a José um lugar especial no pódio da vida. Adorei o José da Pizzaria. Lá ele nadou de braçadas na honestidade: quando percebeu o troco que veio a mais, devolveu a quantia errada com alegria e aproveitou a oportunidade para fazer uma nova amizade.
Observando esses Josés Heróis, percebo que sou apenas uma formiguinha caminhando a passos curtos, mas que precisam ser dados. Uma formiguinha que vai de carteira em carteira na sala de aula, ajudando meus colegas a entender o Teorema de Pitágoras ou o uso da crase.
Inspirando-me neles, candidatei-me a uma posição no grêmio estudantil da escola para trabalhar com projetos sobre cultura e esportes. Sou representante de sala e defendo os interesses do 9º ano C. Leio Drummond, Guimarães Rosa, Machado, que me inspiram a não ser arrastada pelas massas. Em casa procuro ser uma boa filha, ajudando minha mãe com sua renda mensal. Colaboro derretendo os chocolates, moldando os doces e embalando-os.
O José tem que ser eu, que nas minhas pequenas atitudes do dia, busco construir um brasil melhor, mais justo, mais digno, mais feliz.

___________________________________________________
Nome: Carla Bianca de Melo Macedo – 9ºC
Profª. Leila Aparecida Lourenço Silveira
Pela tela do celular, vejo notícias, injustiças, crise, corrupção. Vejo pessoas revoltadas, indignadas, mas que não são capazes de dizer “bom dia” ao vizinho. Aponta o dedo, julgam, condenam, mas são capazes de fazer uma ligação clandestina de água, ou comprar um produto mais barato sem saber a procedência. Essa incoerência multiplica-se no dia a dia de muitos brasileiros prejudicando esse gigante pela própria natureza.
Enquanto não houver consciência do que é certo e errado, enquanto as pessoas não optarem pelo que é justo, mais decepções o povo terá, por menos ordem e progresso o Brasil passará. O Brasil que eu vou ajudar a construir será erguido de boas atitudes como ajudar alguém, ouvir o próximo, ser honesto, praticar o bem. Não terá em seu alicerce tsunamis de preconceitos de raças e gênero.
Não posso esperar o futuro chegar para agir. Não posso encarar a escola como obrigação a ser cumprida. Tenho que estudar com toda minha dedicação, aprender com todo amor, pois no futuro sei que as pessoas precisarão de mim a noção daquilo que eu aprendi.
Buscando aprender mais, conhecer literatura, história, geografia, poderei daqui a dois ou três anos saber avaliar as propostas dos políticos, e não me deixar seduzir por um botijão de gás, ou até mesmo por churrasco, vendendo o meu voto. Afinal agindo assim, prejudicarei a mim mesma e a toda sociedade.
Tenho que fazer escolhas saudáveis para mim e para minha família, para o meu país, para me tornar uma cidadã responsável.
Sei que os filhos desta terra não fogem à luta. Por isso vou somar valores, subtrair egoísmo, multiplicar a esperança e dividir as conquistas.

___________________________________________________
Nome: Deborah Camile de Souza Facioli – 9ºB
Profaª Débora Macedo Zabalar Crotti
Dezenas de corpos estendidos no chão. É uma imagem chocante, como se fizesse parte de um filme de terro ou de guerra. Na legenda, a triste realidade: um atirador homofóbico exterminou todas aquelas pessoas. Em minutos, surge um moderno estádio de futebol, palco de conflitos selvagens entre torcedores. Nas redes sociais, mais um adolescente é humilhado por conta da religião que pratica. Não adianta tentarmos ignorar os fatos, considerando-os distantes, porque a intolerância está a nossa volta, fazendo novas vítimas todos os dias.
Acontecimentos como estes, cada vez mais comuns, não apenas me comovem, eles também me movem. Inconformada, encontrei na escola o espaço ideal para iniciar minha jornada contra a intolerância. Sob a orientação de minha professora de filosofia, idealizei o projeto “Tolerância já”. Por meio de vídeos, cartazes e diálogos, o projeto busca conscientizar os jovens sobre a importância do respeito à diversidade. Também utilizamos a comédia “Stand Up” para atrair a atenção dos colegas e mostrar que a intolerância não está apenas nos noticiários, mas também nos pequenos gestos do nosso cotidiano, que, muitas vezes passam despercebidos. Para mim, compreender a diversidade que constitui nossa sociedade é entender a riqueza que existe em cada um de nós. E é dentro de nós que a mudança começa. Respeitar o outro e ver o quanto podemos aprender com ele. Espero que eu possa propagar minhas ideias e ajudar a construir um pais mais tolerante que não ilumine o outro por considerá-lo diferente, mas o valorize. Um pais que não seja guiado pela intolerância, mas pelo respeito.

___________________________________________________
Nome: Pedro Henrique da Silva – 9ªC
Profª Leila Aparecida Lourenço da Silveira
Clic! Dei reset! E tudo voltou a funcionar com apenas um toque. Mas outro dia amanheceu e um novo escândalo aconteceu! Não, não dá para voltar em 1500 e reiniciar o Brasil. O país tropical, abençoado por Deus e Bonito por natureza, hoje está envolvido por muita tristeza. Ao contrario daquela época, alguns cidadãos fazem de tudo para cobrir suas vergonhas, usando o poder para se beneficiar, trocar favores e acusações.
Ainda hoje muita gente vê as caravelas chegando e se apossando de tudo. Por ignorância trocam voto por bugigangas, entram no embalo e aproveitam qualquer oportunidade para se dar bem. Mas há quem grite, quem age, quem faça um brasil diferente, como um anti-vírus na sociedade, combatendo o vírus da corrupção.
Esse anti-vírus não é difícil de se encontrar. Basta ter boa vontade e esperança de que as coisas possam melhorar. E posso ver a olho nu quem a cada dia colabora para um brasil mais justo, mais igualitário e me inspira a confiar que eu também posso: minha professora. Com ela percebo que não é com um reset que vamos mudar o mundo. Mas sim com um upgrade a cada dia. E isso me inspirou a ser voluntário nos projetos sociais da escola e em instituições do município. Ainda não posso levar ouro ne prata para elas, mas arrecado e levo brinquedos às crianças da Pastoral, brinco com elas; vou com os meus amigos ao asilo contar histórias aos idosos com a intenção de deixar o dia deles mais feliz. O que eu tenho para oferecer é o meu tempo, a minha atenção.
Sempre tento ser um filho melhor, respeitando os meus pais, ajudando em casa. É o mínimo que posso fazer. Dentro de casa estou aprendendo a respeitar as leis, a contribuir com o progresso da nação. Essas pequenas atitudes me fazem crescer, amadurecer e me tornar um cidadão responsável capaz de construir um Brasil melhor.








    Lucilá Calçados Orlândia