Câmara de Orlândia marca sessão para votar processo de cassação da vereadora Michele Junqueira

Compartilhar

Na noite de ontem, 10 de fevereiro, o presidente da Câmara Municipal de Orlândia, Max Define Neto convocou uma sessão extraordinária a ser realizada no dia 17 de fevereiro, segunda-feira, logo após o término da sessão ordinária, para o julgamento do processo de cassação de mandato da vereadora Michele Rufo Junqueira, em que figura como denunciante o Sr. Nilson Correa Gomes.

A intimação foi entrega durante a sessão pela nova funcionária da Câmara Elara de Felipe Antônio.

Para que a vereadora seja cassada, serão necessários 2/3 da Câmara, ou seja 6 votos. A própria vereadora não vota, mas sim seu suplente José Inácio..

-A matéria continua depois da publicidade-

ENTENDA O CASO

O PL – Partido Liberal de Orlândia, através de seu vice-presidente, Nilson Correa Gomes, pediu a cassação da vereadora Michele Rufo Junqueira. Ele alega que Michele utilizou a cozinha piloto para fazer a “Feijoada na casa do Vado”, e armazenar material nas câmaras frias, além de empréstimo da Cooperativa de Crédito da Prefeitura Municipal.

As acusações se baseiam em interceptações telefônicas feitas pelo GAECO na operação Loki, entre Michele Junqueira e  Fabrícia Mara Emmel de Souza Santos, diretora da empresa JS que venceu a licitação da Cozinha Piloto de Orlândia.

O QUE DIZ A VEREADORA MICHELE

A vereadora Michele afirmou que tudo não passa de uma manobra política. Ela comentou ainda que na legislação passada também foi alvo de investigação de uma comissão processante que acabou arquivado e citou que o vereador Thiago cavasini, membro da CPI, também será denunciado junto ao Gaeco, Ministério Público e Polícia Federal. Por sua vez, o vereador Cavasini comentou sobre as ameaças recebidas e acredita que a justiça vai trazer a verdade dos fatos.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: